sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Juízes, Reis e Profetas


Juízes

Oração Inicial: Livre 
  • Perguntar aos catequizandos:
  • Vocês sabem o que é um líder? Ou um herói?
  • Vocês conhecem a história de algum líder ou herói?

Colocação do Tema

Depois que o povo de Israel recebeu os 10 mandamentos, se tornou mais forte e conseguiu, como Moisés lhe tinha prometido, chegaram a Terra Prometida.

Nesta terra, esse povo começou a viver no meio de outros povos que eram fortes e poderosos.

O povo começou a se afastar de Deus, aprendendo os maus costumes  desses povos e se esquecendo dos mandamentos e da aliança que tinha feito com Deus.

Daí o povo começou a ser roubado e explorado, escravizado por outros povos que moravam perto.

Para ajudar os israelitas a sair dessa situação, Deus fez surgir Juízes que, conforme a ocasião, levaram o povo a voltar-se para Ele e a se libertar dos outros povos.

Os juízes eram líderes populares, animados por Deus, com muita fé e coragem, conseguiram realizar a libertação desejada por seu povo.


Houveram 14 juízes: Josué, Otoniel, Eúde, Sangar, Débora, Gideão, Abimeleque, Tola, Jair, Jefté, Ilsa, Elom, Abdom e Sansão.

É importante ressaltar que Deus escolhia sempre os mais fracos e marginalizados da sociedade. Exemplo:

  • Otoniel: era o caçula (naquela época o caçula não possuía os mesmos direitos do irmão primogênito)
  • Aod: era canhoto ( também naquela época acreditava-se que ser canhoto era uma deficiência física)
  • Débora: mulher ( pelos padrões da época a mulher era marginalizada)
  • Gideão: desconfiado, medroso, pertencente ao clã mais pobre e também o caçula.
  • Jefté: filho de uma prostituta
  • Sansão: forte nos músculos, mas, fraco no coração.


Reis

Colocação do tema

O povo de Israel, vendo que os outros povos tinham um Rei que mandavam sobre eles, desejou também ter um Rei. 

Por isso pediu a um homem chamado Samuel e que era muito conhecido e respeitado no país, até considerado como um santo, que escolheste um Rei para eles.

Samuel rezou para Deus manifestar sua vontade. Deus disse a Samuel: "Faça o que eles pedem, pois é a mim que rejeitam e não estão rejeitando a você. Mas avise bem a eles, com toda seriedade o que é ter um Rei."  

Samuel alertou o povo com estas palavras: "O Rei tomará o que tiver de melhor em tuas propriedades, cobrará impostos, pegará os seus filhos para serem solados e eles morrerão na guerra e empobrecerá o povo para manter seu reinado."

O povo não quis mais escutar a Samuel e disse: "Não! Queremos um Rei e, assim, nós seremos iguais a todas as nações. Nosso Rei nos julgará, sairá a nossa frente e comandará nossos combates." 

Samuel ouviu todas as palavras do povo e repetiu ao Senhor. E Deus respondeu: "Então faça conforme o que eles estão pedindo. Dê a eles um Rei." 

Deus respeita a vontade do povo. Deus dá sempre a liberdade do homem. 

O desejo de ter um Rei custará muito caro aos Israelitas: perderão a terra e voltarão à escravidão( Exílio da Babilônia) Querer imitar os outros que não tem outro ideal a não ser a riqueza, o poder, e os elogios: é a tentação do povo de Israel que quer ter um Rei. 

Nós também quando queremos apoiarmos apenas em coisas materiais que parecem não nos dar segurança, desejamos ter um "Rei" que não é o verdadeiro Deus.  

Mesmo assim, Deus não abandona o seu povo. Ao lado dos Reis, Ele fará surgir homens justos que falarão em nome de Deus: são chamamos profetas.

Samuel então pediu a Deus, em oração, e o Senhor lhe ordenou que ungisse Saul, como primeiro rei, mas Saul foi infiel.

Deus então ordenou a Samuel que ungisse Davi, como rei de Israel. E Davi reinou durante 40 anos. Apesar de seus erros e fraquezas, o rei Davi procurou ser fiel a Deus e era muito piedoso. 

Escreveu belíssimas orações em forma de poesias, chamadas Salmos, nas quais louva a Deus e anuncia a vinda do Messias, que Deus prometera nascer de sua descendência.

Seu filho Salomão o sucedeu, mas antes pediu a Deus sabedoria para governar o povo, e foi atendido. No seu reinado foi construído o belíssimo Templo de Jerusalém.

Mas depois, Salomão e outros reis não foram fiéis a Deus e à Sua Aliança. A decadência moral e espiritual manifestava-se cada vez mais. O povo foi deixando de lado os mandamentos de Deus, uniu-se a povos estrangeiros, cometeu pecados. Então houve desunião, lutas e o reino se dividiu em reino do norte (Reino de Judá) e reino do sul (Reino de Israel).

Os reis de Israel foram infiéis e adoraram deuses falsos, por isso foram castigados. Foram invadidos; parte do povo foi deportada para a Assíria e outra dispersada pelo mundo e suas terras povoadas por outros povos.

No Novo Testamento, Jesus vem nos mostrar que o Reino de Deus que nos leva à Libertação. Nossa confiança deve estar sempre voltada para Deus e fazer Dele o Rei da nossa vida.

Será que estamos fazendo de Deus o Rei da nossa vida? 
Há outras coisas que estão reinando mais que Deus na nossa vida, na nossa família e sociedade?

Profetas

Colocação do Tema 

Quem eram os PROFETAS?
Profetas não eram pessoas que ficavam só procurando adivinhar o futuro.

Profetas eram aqueles que falavam em nome de Deus, dizendo o que errado e como o povo devia viver para cumprir a Aliança que tinham feito à Deus.

Profetas eram pessoas que viviam de acordo com os Mandamentos. Eram chamados por Deus para cumprir a missão de defensores da justiça e da fraternidade.

O profeta tem coragem de:
  • Denunciar mesmo com ameaças e injustiças.
  • Chamar o povo infiel à conversão.
  • Estimular o povo de Deus e seus dirigentes para a fidelidade ao compromisso com o Deus de seus pais, o Deus da Aliança, o Deus da Libertação.
  • Conscientizar o povo.
  • Contestar a “ordem” contrária ao Plano de Deus, por isso, eles eram considerados elementos perigosos.
  • Recordar os acontecimentos da história do povo para criticar e mudar a situação injusta do presente.
  • Exigir em nome de Deus, mudanças na conduta pessoal, nas instituições religiosas e políticas do povo.
  • Criticar a opressão dos pobres.
  • Defender os sem-vez e os sem-voz.
  • Lutar contra o luxo resultante da exploração dos fracos.
  • Mostrar que não se pode encontrar Deus escravizando e explorando o irmão; que não adianta o culto sem justiça e nem amor ao próximo.
  • Acusar e combater privilégios;
  • Construir fraternidade.

Falar sobre os Profetas Menores e Maiores. Lembrem-se que se denomina “menores”, os que deixaram poucos escritos e “maiores” os que deixaram mais escritos.

Maiores: Isaías, Jeremias, Daniel e Ezequiel.

Menores: Baruc, Oséias,Joel, Amós, Zacarias, Malaquias, Abdias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuc, Sofonias, Ageu.

Procurar ter todos dias, uma atitude de profeta, porque todo cristão deve ser profeta.

Dizer para os outros o que está certo e o que está errado, de acordo com o que estamos refletindo nos encontros de catequese.

Não ter medo de zombarias, de caçoadas porque estamos frequentando a catequese e procuramos defender os pobres, os marginalizados, conforme o desejo de Deus.


Atividades
Dividir a turma em 4 grupos, cada um terá que contar a história de um juiz, rei ou profeta.

Historinhas para a atividade


GIDEÃO
  Juízes 6 a 8

           O povo de Israel pecou contra Deus, e por isso Ele deixou que o povo de Midiã os dominasse durante sete anos. Os israelitas se escondiam dos midianitas em cavernas. Eles destruíam suas plantações. Então os israelitas pediram socorro a Deus. Então o Anjo do Senhor veio e falou com Gideão, filho de Joás, quinto juiz de Israel. Gideão estava malhando o trigo (tirando o grão de trigo da casca), para esconder dos midianitas. O Anjo disse: O Senhor é contigo, homem valente! Gideão respondeu: “se o Senhor é conosco, por que estamos sofrendo tanto?” Mas sou Eu que estou te enviando!”, disse Deus e Gideão falou: “mas eu sou da família mais pobre daqui e o mais fraco dos meus irmãos.” Mas Deus falou pra Gideão que Ele derrotaria os midianitas e usaria Gideão para isto. Mas, antes, tinha uma missão para ele: pegar o altar de baal e destruir , depois, sacrificar um animal e construir uma altar para Deus ! Gideão foi e fez tudo isto. Mas ele estava com medo de lutar contra os midianitas e pediu um sinal a Deus: “Ó Deus, se quiser que seja eu quem vá lutar, vou pôr um pouco de lã no lugar onde malhamos o trigo, se de manhã o orvalho tiver molhado somente a lã, e o chão em volta dela estiver seco, então poderei ficar certo de que o Senhor me usará para libertar Israel.”
             Na manhã seguinte Gideão se levantou, espremeu a lã, e dela saiu água. Então ele pediu a Deus: “Não fiques zangado comigo, mas faça o contrário: que a lã fique seca e o chão molhado!” E Deus fez isso naquela noite. A lã ficou seca, e o chão em volta ficou coberto de orvalho. Gideão, convencido de que Deus estava com ele mesmo, convocou todos os israelitas. Mas o Senhor disse: “ Você tem pessoas demais, e poderiam pensar que venceram sem a minha ajuda. Mande embora pra casa, aqueles que estiverem com medo. ””E vinte e dois mil homens voltaram. Mas, dez mil ficaram. E Deus disse: ”Ainda é gente demais. Leve todos até as águas: todos os homens que lamberem a água com a língua, devem ser separados dos que se ajoelharem para beber”. Trezentos homens juntaram água nas mãos e lamberam. Todos os outros se ajoelharam para beber. Aí o SENHOR disse a Gideão: “ Com estes trezentos homens que lamberam a água, eu libertarei vocês e lhes darei a vitória sobre os midianitas. O acampamento dos midianitas estava abaixo deles, no vale. Naquela noite, o Senhor disse a Gideão: “Levante-se e ataque o acampamento dos midianitas. Eu já dei a vitória a você”. Gideão deu a cada homem uma corneta de chifre de carneiro e um jarro com uma tocha dentro. E disse: “Quando eu chegar perto do acampamento inimigo, façam o que eu fizer.” Quando chegaram bem perto do acampamento. Então tocaram as cornetas, quebraram os jarros e gritaram: “Uma espada pelo SENHOR e por Gideão!”” Enquanto os trezentos homens tocavam as cornetas, Deus fez com que os homens do acampamento atacassem uns aos outros com as suas espadas. Os midianitas foram derrotados pelos israelitas. E a terra ficou em paz durante quarenta anos enquanto Gideão viveu.

JOSUÉ - o novo líder!
 Deut. 34 e Josué 3 e 5

      Moisés morreu aos 120 anos, ele não pôde entrar na terra prometida. Deus não permitiu, porque ele desobedeceu a Deus. Na última vez que Deus mandou Moisés dar água da rocha para o povo, Ele pediu para que falasse com a rocha, e Moisés, já furioso com as murmurações do povo, feriu a rocha, desobedecendo a Deus. E por isso o Senhor disse que ele não entraria em Canaã. Josué, então, tornou-se o novo líder do povo de Israel. Aí o SENHOR disse a Josué: — Por causa daquilo que vou fazer hoje, todo o povo de Israel vai saber que você é um grande homem. Eles saberão que, assim como estive com Moisés, também estarei com você. Dias depois os israelitas se prepararam para partir. Os sacerdotes iam à frente, levando a arca da aliança.
      Quando chegaram ao Jordão e puseram os pés dentro da água, ela parou de correr e ficou amontoada na parte de cima do rio. Na parte de baixo, o rio secou completamente até o mar Morto. Então o povo passou para o outro lado, perto de Jericó. Enquanto os israelitas atravessavam, pisando terra seca, os sacerdotes que levavam a arca ficaram parados no seco, no meio do rio Jordão. Quando todo o povo de Israel acabou de atravessar o rio Jordão, o SENHOR disse a Josué: Escolha doze homens, um de cada tribo, e dê esta ordem: Peguem doze pedras do meio do rio Jordão, do lugar onde os sacerdotes ficaram parados. Levem essas pedras e coloquem onde acamparem hoje à noite.
      Então Josué chamou os doze homens que havia escolhido e disse: Passem adiante da arca da aliança do SENHOR, o Deus de vocês, e sigam até o meio do Jordão. Cada um ponha no ombro uma pedra, uma para cada tribo de Israel. Essas pedras ajudarão o povo a lembrar daquilo que o SENHOR tem feito. No futuro, quando os seus filhos perguntarem o que essas pedras querem dizer, vocês contarão que as águas do Jordão pararam de correr no dia em que a arca da aliança atravessou o rio. Essas pedras farão com que o povo de Israel lembre sempre desse dia. Os homens fizeram o que Josué mandou. Josué também pôs doze pedras no meio do Jordão, no lugar onde os sacerdotes que carregavam a arca haviam parado. Essas pedras ainda estão lá. Naquele dia o SENHOR fez com que o povo de Israel ficasse sabendo que Josué era um grande homem. E, durante a vida de Josué, eles o respeitaram assim como haviam respeitado a Moisés.  

A história de Davi
I Samuel 16-17 

Há muito tempo atrás, num país muito distante do nosso, chamado Israel, havia um rapazinho chamado Davi.
Eu não sei a idade dele, mas imagino que ele era bem novinho e mesmo sendo novinho, ele já trabalhava. Sabe o que ele fazia?
Ele era pastor de ovelhinhas.
Todo o dia, de manhã bem cedinho, ele acordava e ia trabalhar. Ele levava as ovelhinhas para beberem água no riacho e comerem graminhas bem verdinhas.
Ele estava sempre alerta para evitar que algum bicho atacasse suas ovelhinhas, porque ele tinha um carinho muito especial por elas.
Nos momentos mais tranqüilos, Davi tocava sua harpa. As ovelhas ficavam calmas. E assim Davi tocava, tocava e tocava. Era tão bonito. As pessoas que passavam nas redondezas ouviam a música e ficavam admirados. Era uma música tão bonita.
Sabe... nessas horas, Davi olhava para natureza e via as coisas que Deus fez e tocava lindas canções e escrevia lindos poemas pensando em Deus – Esses poemas se chamam Salmos... é... são alguns dos Salmos que estão no meio da Bíblia. Foi assim que Davi cultivou uma amizade com Deus.
Daí... a música dele ficou conhecida por algumas pessoas da sua cidade.
Um dia, o rei Saul estava muito nervoso e seus empregados sugeriram que chamasse alguém que tocasse bem algum instrumento para acalmar os ânimos do rei.
Adivinhe quem foi chamado?
É... o próprio – Davi.
E ele tocou bonito para rei e assim... quando o rei ficava nervoso e irritado, Davi tocava a sua harpa e o rei ficava calminho, calminho. O rei gostou tanto, que até convidou Davi para ser escudeiro dele.
Mas... mesmo assim, Davi ainda cuidava das suas ovelhas nas horas vagas.
Um dia, teve uma guerra muito terrível e os irmãos de Davi foram para ela. Davi não foi porque era muito jovem, mas o pai de Davi pediu para que ele fosse até o local da guerra, levar alimentos para os seus irmãos.
Davi foi.
Chegando lá, viu que os soldados estavam tensos. No exército inimigo havia um inimigo muito poderoso. Ele era um gigante e o nome dele era Golias. Ele desafiava e xingava os soldados, chamando um que pudesse lutar com ele.
Os soldados de Israel estavam com medo, inclusive os irmãos de Davi.
Davi não ficou com medo do gigante e foi pedir autorização ao rei Saul para lutar com o gigante Golias. O rei não teve outra opção, senão autorizar o moço Davi a lutar com o gigante, dando a ele roupas de guerra (escudo/armadura).
Davi  pôs aquelas roupas.... aiiii... mas não teve jeito. Ele não conseguia se equilibrar com aquilo. Aquelas roupas mais atrapalhavam do que ajudavam.
Decidiu tirar aquelas roupas de guerra e ir lutar do seu jeito, ou seja, CONFIANDO QUE SEU AMIGO DEUS, IRIA LHE DAR VITÓRIA.
Ele foi até o riacho, pegou 5 pedrinhas e um funda e foi.
O gigante, ao ver a Davi, começou a rir e a caçoar dele dizendo:
-         Você ta pensando que eu sou cachorro para vir lutar comigo com pedras e paus? Você vai ver só o que vai te acontecer... vou fazer picadinho de Davi.
 Davi não se intimidou e disse:
-         Olhe senhor gigante, você pode vir lutar comigo com a sua espada e a sua lança, mas eu vou lutar  COM A AJUDA DE ALGUÉM QUE É MAIOR QUE VOCÊ – QUE É DEUS.
 Davi pegou a sua pedrinha, colocou na funda e girou, girou, girou e vuptttttt.
 A pedrinha voou, voou, voou e PIMBA.
 Bem na testa do gigante Golias que caiu e morreu.
 E foi assim que Davi confiou em Deus e foi vitorioso.
 Na nossa vida, temos probleminhas, problemas e problemões. Alguns deles, são como gigantes. Mas Deus quer que a gente, como Davi, tenha uma amizade com Ele, confie Nele e Ele nos ajuda a vencer esses desses problemas. Confie em Deus, confie em seu filho Jesus Cristo!

Oséias

        Oséias vive em um período em que os poderosos estão muito bem. Por isso, não se importam em serem fiéis a Deus. O rei da época, Jeroboão, para conquistar mais o povo, deixa que entrem muitos ídolos no meio dele.
        O nome "Oséias" quer dizer "salvação". Como freqüentemente acontece nos livros dos profetas, o nome do autor combina perfeitamente com a sua mensagem. Oséias condena os pecados do povo, mas apresenta uma mensagem de esperança e perdão.
       O livro de Oséias, talvez mais do que qualquer outro livro do Velho Testamento, expõe o coração de Deus. Oséias vive no próprio casamento o que Deus estava passando em relação a Israel. Os primeiros três capítulos descrevem a vida de Oséias. Ele se casa, mas a mulher dele se torna adúltera. Ele sofre com a infidelidade dela, mas ainda mostra a misericórdia para tomá-la de volta. Assim Deus viu a sua noiva, o povo de Israel, se envolvendo com "outros deuses", ou seja, cometendo adultério espiritual. Mesmo depois de tudo que Israel havia feito, Deus teria graça e misericórdia para reconciliar com esta esposa adúltera e estabelecer uma nova aliança com ela.
       O povo pode ser infiel, esquecer-se da Aliança. Mas Deus não é assim. Ele sempre espera a volta daquele que errou. O profeta Oséias, na sua pregação, mostra o coração de Deus cheio de amor e ternura. Deus é como um marido que ama sem limites a sua esposa e cuida da família com todo carinho.

Isaías

         Geralmente considerado como o maior de todos os profetas bíblicos, Isaías terá nascido em Jerusalém por volta do ano 560 a.C., sendo proveniente de uma família nobre e homem de elevado cultura. A sua vocação profética teve início no ano da morte do rei Ozias e prolongou-se pelos reinados dos reis de Judá: Jotam, Acaz e Ezequias. Este foi um período muito conturbado, com ameaças permanentes de invasões dos assírios, babilónios e egípcios.
         O livro de Isaías (classificado pela Bíblia Cristã como livro profético) é, juntamente com o dos Salmos, o mais citado no Novo Testamento. Este divide-se em três secções bastante distintas: Isaías I, Isaías II (ou Livro da Consolação) e Isaías III.
        O livro do Profeta Isaías tem 66 capítulos. Ele está dividido em 3 partes. A segunda parte foi escrita no tempo em que o povo foi preso e levado para a Babilônia. No cativeiro é necessário animar o povo e conservar-se fiel. Isaías transmite ao povo descrente, um novo conceito de Deus: Deus único, Deus vencedor. Ele ama sua terra e seus irmãos, por isso ele encoraja o povo, dizendo que Deus não quer ver seu povo escravo de ninguém.
        Isaías é chamado de “servo sofredor” porque assume a missão, mesmo com perseguição, calúnia, tentação, incompreensão e abandono dos amigos.
     Isaías também foi o profeta que anunciou a vinda de Jesus Cristo e a verdadeira libertação.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário